O termo médico genérico para calvície é alopecia, sendo que os pesquisadores definiram diversos tipos de alopecia.

Alopecia Androgenética (calvície de padrão masculino)

O tipo mais comum de calvície em homens é a alopecia androgenética, ou calvície de padrão masculino. Acomete aproximadamente 50% dos homens durante suas vidas. A calvície de padrão masculino pode ser causada por uma sensibilidade geneticamente herdada a uma substância de ocorrência natural denominada DHT. Estudos de fios de cabelos arrancados de couros cabeludos calvos e não-calvos mostram que, com a calvície de padrão masculino, os níveis de 5-a -redutase e DHT no couro cabeludo são elevados. A 5-a -redutase é importante na formação de DHT, e níveis elevados de DHT estão associados com calvície em homens.

A calvície de padrão masculino começa com afinamento dos cabelos nas têmporas e pode aumentar com o passar do tempo. Os estágios da calvície de padrão masculino foram classificados a partir da metade do século 20.

Durante anos, muitas teorias e mitos circularam sobre a afecção, mas desde o final do século 20, a causa subjacente de calvície de padrão masculino foi reconhecida.

Alopecia Areata

Alopecia Areata é a perda capilar que geralmente ocorre em placas no couro cabeludo. Fios de cabelo quebrados que se assemelham a pontos de exclamação podem também surgir ao redor das margens das placas de calvície. Em alguns casos, pode progredir para calvície total na cabeça (alopecia total), ou perda total de pêlos no corpo (alopecia universal).

Um estudo epidemiológico retrospectivo realizado pela Clínica Mayo (Rochester, Minnesota, EUA) estimou que a incidência global de alopecia areata foi de 20.2 por 100.000 pessoas-ano. O estudo também concluiu que os índices de incidência foram similares para ambos os sexos e todos os grupos etários.

A causa da alopecia areata é desconhecida). Várias hipóteses foram aventadas. Essas podem incluir:

* doenças autoimunes
* hereditariedade
* exposição a produtos químicos
* mediação pelo sistema nervoso